Ir para o conteúdo

Expedição Pantanal

Um encontro com o Tamanduá-Bandeira no Pantanal

Por: Equipe Vai por Mim + Ricardo Martins

| 27 de Julho

De um lado, o fotógrafo Ricardo Martins. Do outro, um Tamanduá-Bandeira em seu habitat natural. Entre eles, a emoção de captar um momento único.

Nas palavras de Ricardo, a busca pelo melhor ângulo é uma dança. E nesse registro, nós é que somos levados em um baile cheio de nuances, onde o palco é nada menos que o sempre espetacular Pantanal.

Diga X, Tamanduá!

Saiba tudo sobre o Tamanduá-Bandeira

Pensa num bichinho peculiar… esse é o tamanduá-bandeira. Se é que podemos chamá-lo de “bichinho”, tendo em vista que é um animal de grande porte, um dos maiores mamíferos de que se tem notícia.

Conheça as principais características e curiosidades sobre o tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla).

Paisagem da vegetação rasteira do Pantanal e céu azul com algumas nuvens. À direita, um tamanduá-bandeira.
Ricardo Martins fotografa um tamanduá-bandeira no Pantanal.

Continua depois da Publicidade

Como é?

O animal possui pelagem comprida de cor marrom ou cinza. Também apresenta uma faixa diagonal preta com bordas brancas, que vai do peito até metade do dorso. Seu focinho super extenso é uma das principais características, além de longa cauda que tem formato semelhante ao de uma bandeira. Daí vem o nome popular.

Seu corpo pode chegar a medir mais de 1 metro, sem contar a cauda, que também pode ter 1 metro de comprimento. Em geral, o tamanduá-bandeira mede aproximadamente 2 metros e pesa entre 20 e 60 kg.

O quadrúpede é bem tranquilo, apesar de ter garras fortes e enormes nas patas dianteiras. Esse atributo é importante para sua defesa e para cavar o solo em busca de alimento. A língua do bicho é muito comprida e, junto à saliva pegajosa, também favorece a caça às presas.

O que come?

O tamanduá-bandeira se alimenta de insetos, principalmente formigas. Ele é capaz de comer mais de 30 mil formigas por dia, acredita? Outros insetos que estão na base da sua alimentação são cupins, besouros, centopeias, larvas, entre outros. Ele também pode comer frutas e raízes.

Fato curioso é que, devido a essa alimentação específica, o mamífero não possui dentes, já que sua língua é suficiente para capturar e engolir os insetos.

Onde vive o Tamanduá-Bandeira?

O tamanduá-bandeira é um dos bichos mais simbólicos do Brasil, encontrado em praticamente todos os estados, sobretudo na região Centro-Oeste. Já no Rio de Janeiro e Espírito Santo, a espécie é considerada extinta. Também pode ocorrer em outras regiões da América do Sul e na América Central.

Seu habitat é diversificado, isso significa que o peludo pode ser visto em todos os biomas brasileiros: Floresta Amazônica, Mata Atlântica, Cerrado, Caatinga, Pantanal e Pampas.

Quais são os hábitos?

O tamanduá-bandeira é um mamífero solitário na fase adulta, de hábitos diurnos ou noturnos, a depender do clima da região em que vive.

Eles caminham vagarosamente e, embora sejam pesados, conseguem subir em árvores com a força de suas garras. Assim, se defende de seus predadores. Outra forma de defesa quando se sente ameaçado é sentar-se sobre as patas traseiras e, em um “abraço” nada amigável, cravar as garras nas costas do inimigo.

Outras curiosidades sobre o Tamanduá-Bandeira

  • É apelidado de papa-formigas-gigante, jurumim e urso-formigueiro-gigante;
  • As fêmeas dão apenas um filhote por ano, carregado em seu dorso durante o primeiro ano de vida;
  • Sua visão é muito baixa, mas ele compensa com o olfato aguçado;
  • A média de vida na natureza é entre 25 e 30 anos.

Expedição fotográfica no Pantanal

Vai por mim: a fauna do Pantanal é extraordinária! É por isso que pessoas como o Ricardo Martins sabem aproveitar cada segundo nesse paraíso de campos inundáveis e biodiversidade inigualável.

Nada melhor que eternizar cada experiência através da fotografia de natureza, que é a especialidade de Martins. O tamanduá-bandeira foi o protagonista da vez, mas o fotógrafo já captou imagens de vários outros animais silvestres nessa passagem pelo Pantanal.

Veja mais fotos da expedição pantanesca!

Continua depois da Publicidade

Quer conhecer o Pantanal no melhor estilo? A gente te ajuda!

Chegar ao Pantanal sul-mato-grossense é bem tranquilo quando você está com o veículo adequado. Você pode atravessar a Transpantaneira em um carro de passeio na época de seca ou em um 4x4 no período chuvoso. Por isso, planeje bem a sua viagem!

Alugue um carro em Campo Grande, capital do estado do Mato Grosso do Sul, e pegue a estrada rumo ao Pantanal. Também dá para sair de Cuiabá, capital do Mato Grosso. E não perca as melhores vantagens que nossos parceiros oferecem!

Continue com a gente nesta jornada pantaneira: assista ao episódio 3 e conheça mais sobre a cultura do Pantanal.

Expedição Pantanal

Sinta a viagem pelo bioma pantaneiro com o fotógrafo de natureza Ricardo Martins em uma websérie original Localiza. São 6 episódios para você desbravar a riqueza da fauna e da cultura do safári fotográfico do Mato Grosso do Sul.

Perfeito para você

Receba dicas de roteiros de viagem e tudo sobre o universo dos automóveis no seu e-mail.

Esse site é protegido por reCAPTCHA. As Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google se aplicam.
Oba! Valeu por ser inscrever. Logo mais você receberá nossas novidades no seu e-mail.

Comentários

Esse site é protegido por reCAPTCHA. As Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google se aplicam.
Seu comentário será verificado
e poderá ser publicado em breve.

Oportunidades imperdíveis

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência em nossos serviços. Ao navegar você concorda com nossa política de privacidade. Saiba mais.