Ir para o conteúdo

Mel na Estrada

No coração do Brasil: a riqueza e a diversidade do Pantanal

Por: Equipe Vai por Mim + Mel Fronckowiak

| 19 de Agosto

Do sucesso das telinhas para a vida real, o Pantanal brasileiro é um destino inigualável! Vai por mim, a imensidão dessa área com riquíssima biodiversidade e vegetação conservada é capaz de inspirar emoções nunca sentidas.

Pantanal é terra de “gente que entende, que fala a língua das plantas, dos bichos, gente que sabe o caminho das águas, das terras, do céu”. E por lá, nós e a Mel Fronckowiak fomos muito bem recebidos!

A websérie Mel na Estrada está de volta com a nova temporada, Rotas Sustentáveis. Vamos nos aventurar em busca de experiências turísticas que priorizam a manutenção dos recursos naturais, entre outros aspectos importantes para a valorização da cultura e dos produtos locais. Pantaneiras e pantaneiros de plantão, que tal acompanhar a gente?

Assista ao vídeo com os detalhes dessa viagem inesquecível!

A sustentabilidade no turismo chegou para ficar!

As belas paisagens do nosso país são um convite pra gente viajar e se conectar com o meio ambiente, concorda? Entre rios e cachoeiras, florestas e montanhas, há muitas belezas a serem contempladas em cada canto do Brasil. Porém, para que a natureza possa ser nosso abrigo, ela precisa ser cuidada, respeitada e protegida.

É nisso que o turismo sustentável se apoia, uma vez que promove a satisfação dos visitantes, ao mesmo tempo em que atende às necessidades regionais e conserva o meio ambiente para as gerações futuras. A sustentabilidade no turismo representa uma experiência com atenção a questões ambientais, sociais, econômicas e culturais. Visa a valorização dos negócios e projetos culturais locais, aliada à preservação ambiental.

Sim, estamos reinventando a nossa maneira de viajar! Aliás, toda vivência turística tem potencial para ser sustentável através de iniciativas como uso racional de água e descarte adequado do lixo, por exemplo.

O conceito não é novidade, mas ainda temos um longo caminho pela frente para que o Brasil explore toda a sua capacidade de ser um polo do turismo sustentável. Então, já sabe: escolha seu destino e, sempre que possível, separe seu lixo, economize água e contribua para a saúde do meio ambiente onde quer que você esteja!

E aí, vamos seguir viagem rumo ao “coração do Brasil”?

Mel Fronckowiak sorrindo segura delicadamente pequeno sapo entre os dedos
Na nova temporada de Mel na Estrada, vamos com Fronckowiak descobrir rotas de turismo sustentável.

Pantanal: o reino das águas na América do Sul

A Região Centro-Oeste do Brasil possui uma das nossas maiores riquezas em termos de belezas naturais e conservação do ambiente: o Pantanal. Com mais de 200 mil km², a extensa região abrange os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, além de uma parte da Bolívia e do Paraguai.

O ecossistema do Pantanal é diversificado, com influência da Floresta Amazônica, Cerrado e Mata Atlântica. Sua principal característica é a presença abundante de água doce e, por isso, a área é denominada como uma planície alagada.

Paisagem de rios pantaneiros cercados por vegetação nativa em fim de tarde
O ecossistema pantaneiro tem em sua origem a presença abundante de água doce, o que o classifica como uma área nativa de superfície alagada.

Além disso, a biodiversidade do Pantanal é expressiva, já que nele estão contidas milhares de espécies. Por lá, já foram registradas 159 espécies de mamíferos, 656 espécies de aves, 98 de répteis (principalmente jacarés), 325 tipos de peixes e 53 de anfíbios, de acordo com a WWF Brasil.

O bioma mais preservado do país recebeu o título de Patrimônio da Humanidade no ano de 2000 e Patrimônio Nacional pela Constituição Federal de 1988.

Ah, e o território é composto majoritariamente por grandes fazendas, e unidades particulares como a que você vai conhecer a seguir. Não por acaso, o turismo ecológico é uma importante fonte de renda para as comunidades locais, com atividades que movimentam a economia da região.

O Pantanal é a sua próxima parada? Então vem com a gente! Conheça alguns destinos na região:

  • Bonito (MS): confira a experiência de ecoturismo nas águas cristalinas do pantanal sul-mato-grossense.
  • Bodoquena (MS): conheça o Refúgio Canaã e explore as belezas e a culinária regional.

Onde se hospedar no Pantanal: Refúgio Caiman

Localizado no Município de Miranda, no Mato Grosso do Sul, o hotel é integrado à natureza e tem a sustentabilidade como norteadora de suas ações.

O Refúgio Caiman é movido por 3 pilares principais: ecoturismo, pecuária e geração de conhecimento através de pesquisa e preservação do Pantanal. O local é a prova viva de que é possível aliar progresso, conservação e respeito à natureza, junto ao fomento do estilo de vida pantaneiro. 

Os 3 princípios da Caiman representam seu ciclo sustentável, que contribui fortemente para a valorização do Pantanal. E é óbvio que a Mel não deixaria de viver de pertinho as atividades oferecidas no local. Olha só as experiências que ela teve por lá!

Ecoturismo no Pantanal

Safári com o guia: um passeio que aguça os sentidos! Além de ver, é importante prestar atenção nos sons dos animais de hábitos noturnos e até mesmo nos cheiros característicos. Durante o dia, Mel avistou o veado-campeiro e ouviu as araras neste incrível safári brasileiro. Na focagem noturna, nossa viajante teve uma experiência inédita ao presenciar onças-pintadas adultas e filhotes, e veados que possivelmente estavam em disputa territorial.

Onça caminhando pela mata é iluminada por focagem noturna
O Refúgio Caiman oferece atividades de ecoturismo, como a focagem noturna com presença de guia local, que permite contemplação de onças, veados e araras em seu habitat natural.

Cavalgada pela manhã: foram três horas de passeio com pontos de descanso e muitas surpresas pelo percurso. A Mel realizou o sonho de cavalgar pelo Pantanal e ainda pôde conhecer um pouco sobre a tradição do berrante para chamar o gado, que já está condicionado desde o nascimento para atender ao sinal.

Mulher e homem cavalgam por estrada de terra vermelha cercados por rio pantaneiro
A experiência única de cavalgar pelo Pantanal cercado pelas paisagens exclusivas deste bioma brasileiro.

Canoagem ao entardecer: neste passeio na baía, Fronck teve a companhia do guia turístico e de ninguém menos que os enormes jacarés que repousam no local. Tudo isso com um esplêndido pôr do sol fazendo o cenário e o silêncio típico das tardes tranquilas no Pantanal.

Mulher e homem praticam canoagem em rio pantaneiro em final de tarde
Hóspedes do Refúgio Caiman podem praticar canoagem e avistar de perto enormes jacarés, além de contemplar o tradicional pôr do sol pantaneiro.

Vai por mim, o nascer do sol pantaneiro é igualmente surpreendente!

Depois de um dia com tantas experiências enriquecedoras, os visitantes merecem um descanso pleno, não acha? O hotel Caiman possui acomodações variadas, como a pousada principal e duas vilas privativas para o seu repouso sereno e confortável.

Turismo sustentável na prática

Mais um dia no Pantanal, e a Mel teve a honra de conhecer também outras iniciativas que promovem o desenvolvimento sustentável na região. Acordar diante de uma paisagem incrível e com o canto dos pássaros é ótimo, mas melhor ainda é observar os hábitos das araras e das onças, além de presenciar a agricultura na prática!

Confira o vídeo!

Instituto Arara Azul (ITA)

A organização não-governamental promove ações de conservação ambiental por meio de programas e projetos. Um deles é o Projeto Arara-Azul, um dos grandes responsáveis pela preservação da espécie em seu habitat natural por meio da conscientização, monitoramento e manejo de ninhos. Inclusive, a boa notícia é que essas aves, que já estiveram sob ameaça de extinção, hoje estão livres de perigo.

O turismo de observação é uma atividade disponível no Refúgio Caiman, no qual os visitantes participam e colaboram ativamente com a pesquisa junto aos guias e biólogos do ITA.

Agrofloresta

A Caiman conta com uma unidade de produção de alimentos, onde a agricultura acontece na linguagem da floresta, cujo princípio é a diversidade. Isso significa que são cultivados diversos tipos de plantas e suas combinações.

Os produtos abastecem o hotel e as pessoas que vivem na Caiman. Ao longo dos três anos de existência da Agrofloresta, a plantação vem se tornando mais abundante e mais produtiva. No primeiro ano, a colheita foi de 1 tonelada de alimentos; no segundo, aproximadamente 3 toneladas; e no terceiro, foram 5 toneladas colhidas.

No coração do Brasil: a riqueza e a diversidade do Pantanal
Agrofloresta no Refúgio Caiman

A proposta da Agrofloresta é regenerar um sistema degenerado, além de fomentar a reciclagem através da Caiman Recicla. A central de coleta seletiva proporciona o descarte correto de resíduos, e o valor arrecadado é destinado ao fundo da comunidade, com deliberações coletivas sobre o uso desse dinheiro.

Além do mais, possui duas unidades de compostagem para resíduos orgânicos. Somente no ano passado, foram 8 toneladas de resíduos compostados.

Onçafari

A Associação Onçafari atua para preservar o meio ambiente a partir de 6 diferentes abordagens:

  • Ecoturismo;
  • Ciência;
  • Educação;
  • Reintrodução;
  • Social;
  • Florestas.

Na Caiman, é praticado o safári fotográfico, atividade que gera renda para os moradores e proprietários de terras locais, além de valorizar as espécies nativas, sobretudo a onça-pintada e o lobo-guará.

Mel Fronckowiak segurando binóculo dentro de carro contemplando a paisagem pantaneira
No safári fotográfico do projeto Onçafari a possibilidade de avistar uma onça-pintada é de 99%.

O mais interessante é que a iniciativa promove a habituação dos animais, o que é bem diferente da domesticação. A técnica, importada dos grandes safáris sul-africanos, possibilita a interação neutra entre humanos e animais. Assim, os bichos se acostumam com a presença dos veículos sem que isso interfira nos seus hábitos de vida selvagem.

Agora, o que a Mel realmente queria saber é: qual a chance de avistamento de animais durante o Onçafari no Pantanal? O guia turístico confirma que a possibilidade é de 99% de visualizar uma onça-pintada, já pensou?

Prepare-se para uma viagem memorável!

Como chegar no Refúgio Caiman

Se o seu roteiro de viagem inclui a Caiman, saiba que o aeroporto mais próximo está localizado em Campo Grande (MS). A distância do aeroporto até o refúgio é de 236 km e existem duas maneiras de chegar até lá: de avião ou de carro.

Pega essa dica: os melhores carros para essa rota são os carros aventureiros. Conheça os 7 melhores carros para pegar estrada rumo ao Pantanal.

Aproveite ainda mais a sua viagem com as exclusividades dos nossos parceiros!

Nos vemos em breve!

Mel na Estrada

Descubra destinos e experiências transformadoras viajando de carro com Mel Fronckowiak.

Perfeito para você

Receba dicas de roteiros de viagem e tudo sobre o universo dos automóveis no seu e-mail.

Esse site é protegido por reCAPTCHA. As Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google se aplicam.
Oba! Valeu por ser inscrever. Logo mais você receberá nossas novidades no seu e-mail.

Comentários

Esse site é protegido por reCAPTCHA. As Políticas de Privacidade e Termos de Serviço do Google se aplicam.
Seu comentário será verificado
e poderá ser publicado em breve.
Carmen Tereza Gonçalves

Paisagens lindas com riquezas de detalhe.

Oportunidades imperdíveis

Nosso site utiliza cookies para melhorar sua experiência em nossos serviços. Ao navegar você concorda com nossa política de privacidade. Saiba mais.